terça-feira, 30 de novembro de 2010

Acordemos

É sempre fácil
examinar as consciências
alheias,
 identificar os erros do
 próximo,
opinar em questões que não
nos dizem respeito,
indicar as fraquezas dos
semelhantes,
educar os filhos dos vizinhos,
reprovar as deficiências dos
companheiros,
corrigir os defeitos
dos outros,
aconselhar o caminho
reto a
quem passa,
receitar paciência a
quem sofre
e retificar as más
qualidades de
quem segue conosco...


Mas enquanto nos
 distraimos,
em tais incursões a
 distância de nós mesmos,


não passamos de aprendizes
que fogem, levianos,
à verdade e à lição.
Enquanto nos ausentamos
do estudo de nossas
próprias necessidades,
olvidando a aplicação
dos princípios superiores
 que abraçamos
na fé viva,
somos simplesmente
 cegos do mundo interior
relegados à treva...
Despertemos,
 a nós mesmos,
acordemos nossas
 energias mais profundas
para que o
ensinamento do Cristo
não seja para nós uma
bênção que passa,
 sem proveito
à nossa vida,
porque o
 infortúnio maior de todos
para a nossa alma eterna
é aquele que nos
infelicita quando
 a graça do Alto
passa por nós em vão!...

Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Caridade.
Ditado pelo Espírito André Luiz.
Araras, SP: IDE, 1978.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não se Preocupe! Os comentários aparecerão em breve.